Casa do Apostador Carregando...
Estudo aponta brasileiros como favoráveis ao uso de IA para detectar problemas com jogo
dom 20 fev/22

Estudo aponta brasileiros como favoráveis ao uso de IA para detectar problemas com jogo


Um estudo recente da empresa Playtech, uma das maiores fornecedoras mundiais de softwares de jogos online e apostas esportivas, apontou que três de cada quatro brasileiros são a favor do uso de Inteligência Artificial (IA) para ajudar a detectar e prevenir problemas com jogos. O estudo foi feito em parceria com a plataforma global de pesquisas Toluna Insights e contou com a entrevista de 2 mil pessoas em quatro países da América Latina: Argentina, Brasil, Chile e Colômbia.

O objetivo principal do estudo e das entrevistas realizadas foi de entender as opiniões e preocupações da população localizada nessa região. Foram colocadas em pautas diversas questões sobre a utilização de IA como um mecanismo de proteção a jogadores que se coloquem em situação de risco. Alguns entrevistados, por exemplo, se mostraram receosos quanto à utilização dos dados coletados pela IA.

Números do estudo

Segundo dados da pesquisa, 76% dos entrevistados no Brasil responderam positivamente quando perguntados se as empresas de apostas deveriam usar a IA para detectar jogadores em risco. No entanto, quando perguntados por que se sentiam assim, 51% disseram que, enquanto a privacidade dos dados for protegida, isso garantiria que os jogadores fossem mantidos seguros. Cerca de 25% dos participantes do estudo disseram que prevenir os problemas com jogos é mais importante que proteger os dados privados.

Com as entrevistas, foi possível para a Playtech entender um pouco mais sobre o perfil dos apostadores brasileiros em relação a essas questões. Por exemplo, quando se trata de problemas de jogo e vício, os brasileiros são cautelosos e conscientes. Dois terços dos entrevistados consideram o empréstimo de dinheiro para jogar (64%) como a característica comportamental mais preocupante entre os apostadores.

Além disso, os brasileiros também apontaram uma outra característica comportamental que eles acham bastante preocupante em relação a detecção de problemas com jogos, que é mentir para a própria família. Fora isso, de acordo com o mesmo estudo, cerca de 20% dos brasileiros entrevistados temem o vício e também a perda de todo o dinheiro que possuem enquanto apostam online.

Importância da IA e medidas de proteção de apostadores

O diretor de política da Playtech, Francesco Rodano, explicou a importância da IA no processo de proteção dos apostadores. “Não só trabalhamos incansavelmente para evitar que o problema de jogo surja, mas também trabalhamos incrivelmente duro para identificar clientes potencialmente em risco e entregá-los com intervenções de jogo mais seguras sob medida. Essa abordagem de duas pontas de detecção e prevenção precoce é extremamente reforçada pelo uso da IA, que analisa os dados dos jogadores anonimamente e fornece insights valiosos com base em vários tipos de comportamentos do jogador.”, relatou Rodano.

 

Apesar dos inúmeros benefícios da utilização da IA nesse processo de ajuda aos apostadores, nem todos os entrevistados concordam com a utilização da tecnologia para ajudar na resolução desses problemas. O estudo mostrou, por exemplo, que 9% dos brasileiros discordam do uso da tecnologia de IA na proteção dos jogadores, argumentando estarem preocupados com o uso das informações coletadas contra eles por parte do governo, trabalho ou família.

Em relação às medidas que uma casa de apostas deve tomar em relação aos problemas com jogos, os brasileiros acreditam que os sites devem oferecer informações claras aos usuários sobre o risco inerente ao jogo (61%), também devem mostrar informações claras sobre dinheiro e tempo gasto em apostas para jogadores (56%) e, principalmente, devem analisar o comportamento dos apostadores para detectar se correm o risco de se tornarem problemáticos (54%). Apenas 13% dos entrevistados disseram que as empresas não precisam fazer nada a respeito, pois isso não seria responsabilidade deles.

Sobre o estudo

O estudo da Playtech foi feito em parceria com a BetBuddy, empresa que emprega uma equipe experiente de pesquisadores, cientistas de dados e engenheiros focados apenas no desenvolvimento de soluções para problemas com jogos. Para isso, a empresa utiliza um software potente e reconhecido no setor que pode classificar o risco do jogador usando dados anonimizados e aprendizado de máquina, ao mesmo tempo em que reconhece que todos os jogadores são diferentes.

O módulo de IA utilizado pela BetBuddy fornece uma lista de mais de 70 marcadores de risco individuais para cada jogador identificado como em risco, permitindo uma intervenção personalizada e mais eficaz. Por exemplo, a empresa analisa tudo que os apostadores fazem dentro das casas, desde o número de tipos de pagamento usados nos últimos três meses até a variação do valor de depósito, tempo de atividade e muito mais. A BetBuddy é um dos únicos provedores de soluções de jogo a ter pesquisas aceitas nas principais conferências de IA do mundo e atualmente está trabalhando com 10 grandes empresas de jogo em todo o mundo.

 A tecnologia é uma aliada

 Confesso que fiquei feliz com a resposta do público brasileiro de apostadores em relação ao uso da tecnologia de inteligência artificial para detectar e ajudar a proteger jogadores com possíveis problemas com apostas. Vivemos em uma era onde a tecnologia está presente em tudo que fazemos e também naquilo que nem imaginamos que podemos fazer.

É burrice se contrapor ao poder que uma máquina pode ter. Entendo a argumentação dos 9% de entrevistados que se mostraram receosos com esse tipo de abordagem por parte das casas de apostas porque realmente temos visto nos últimos tempos um uso inadequado das informações privadas que passamos para algumas empresas.

Apesar disso, entendo que é quase impossível tentar proteger os nossos dados hoje em dia. Absolutamente tudo que temos em nossa casa, que tenha algum tipo de tecnologia, está ali coletando e fornecendo informações para empresas. Qualquer site ou rede social que usamos tem termos que nos obrigam a fornecer informações e dados pessoais, que talvez a gente nem quisesse, mas fornece porque esse é o preço pelo uso de determinados serviços.

Penso eu que, se essas informações já são colhidas de toda forma, não faz sentido ser contra a utilização delas para fins positivos, como a detecção de problemas relacionados ao jogos. A tecnologia tem seus prós e contras, mas sem dúvida alguma ela tem sido uma aliada importante na evolução da nossa sociedade e devemos aproveitar todas as possibilidades que ela pode nos oferecer.

 Sérgio Ricardo Jr.

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

News.
vip

Inscreva-se gratuitamente e receba conteúdo profissional e esclusivo por e-mail!