Casa do Apostador Carregando...
UFC: Dumont x Aspen
ter 19 out/21

UFC: Dumont x Aspen


E aí, meus amigos! UFC é realmente um evento e tanto, não é mesmo? Toda semana uma grande luta, uma situação diferente, uma revelação, um fato novo. Não é a toa que se trata do melhor e maior evento do mundo.

O que é essa Manon Fiorot, hein!? Craque – craque – craque! Anotem e me cobrem. Manon Fiorot é a única atleta da categoria 56 kg que tem reais chances de tirar o cinto da Shevchenko. Inclusive, quando essa luta surgir, em idos de 2023 ou final de 2022, a minha pick será defendendo ela.

Norma Dumont

Norma Dumont. Grande e grata revelação. Mas uma pick que colocarei a disposição na próxima quinta-feira, entrei no moneyline com a Norma. Confesso que a realidade de alguns comunicadores da Sportv me deixa com náuseas de vez em sempre. Ana Hissa é premiadíssima. Aspen ladd levou um vareio técnico e Hissa o tempo todo “pegou a luta em cima”! “Deve ter tido dificuldades para bater o peso”, quase que desmerecendo a atuação de sua compatriota.

Nossos “comunicadores” sofrem de síndrome de “Galvão Bueno”

Não vou me alongar muito nisso e nem na tragicômica comunicadora, mas antes que venham com prolegômenos enfadonhos, digo:

  • sei de tudo isso ai e no que interfere ou não no desempenho de um atleta em uma luta. Mas, Ladd bateu o peso. Esteve inclusive a baixo da Norma (65.8kg x 66kg). A questão aqui é puramente t- é-c-n-i-c-a-!
  • Vamos aos fatos:
  1. Manon Fiorot X Mayra Sheetara

 

Esse foi assunto de minha pick para esta luta. Manon Fiorot é quase que um clone, no meu modo de ver, melhorado, de Holly Holm. Seja fisicamente, seja pelo seu estilo de luta, movimentação e explosão muscular, ambas são muito similares.

 

Antes de entrar nos pormenores da luta, é importante que se ressalte (ninguém me disse isso, é uma constatação particular), muito provavelmente, Sheetara não deve (apesar de assintomática) ter se recuperado plenamente do Covid, o que pode ter interferido em seu desempenho ou pelo menos diminuído bastante seu ímpeto e agressividade.

 

Fiorot é puro-sangue

 

Contudo, Fiorot é uma atleta diferente. Técnica e atleticamente há uma diferença abissal entre ambas, ao ponto de, quando foram para o chão (ponto forte da Mayra Sheetara), não houve sequer ameaça de armlock, principal arma da brasileira no MMA.

 

Quanto ao futuro

 

Bom, é obvio que Valentina é uma unanimidade, porém, Fiorot tem alguns elementos que certamente atrapalharão demais a campeã:

 

  1. Força (equivalente)
  2. Gás (equivalente)
  3. + altura
  4. + envergadura
  5. + volume de golpes e uma exuberante defesa de quedas.

 

As quedas são o fator mais forte no jogo da Valentina. Quem consegue brecar isso, traz problemas para a campeã. Mal posso esperar que esta luta aconteça, talvez ela venha antes mesmo de minha expectativa.

 

A seguir cenas…

 

  1. Dumont x Aspen

 

Ah, Ana Hissa… Ah! Vamos ao que realmente importa.

 

Ontem, a performance apresentada pela Norma Dumont foi de uma beleza irrepreensível até o final do 3 round. Tive um Déjà Vú as avessas da luta entre GSP vs Josh Koscheck pelo UFC 124, disputa de cinturão, 5 rounds, naquela noite GSP deu um “baile” de boxe com uma única sequência, o jab. Lembro como se fosse hoje o tamanho do olho esquerdo do Koscheck, completamente fechado, após 5 rounds de pancada sobre pancada no mesmo olho. E foi quase assim, ontem.

 

Mas, vamos lá…

 

Norma Dumont subiu de patamar em sua trocação, trocava de base a todo instante e mudava o ângulo e a mão do jab, por vezes ia de destro e outras de canhota, com a mesma precisão. Foi bonito de ver. Uma beleza, fez o fino trato do boxe. Que categoria!

Apatia de Aspen

 

Então, porque da suposta “apatia” de Aspen Ladd?

Alguém aí viu a luta do GSP contra o Koscheck? Busquem no YouTube. Foi o mesmo monólogo. Será que os dois tiveram o mesmo problema com o peso ou com o camp? Pois é, a resposta: não. A questão aí é meramente tática, além da grande habilidade e técnica da Norma em conseguir desempenhar este papel com extrema categoria. Não é qualquer um, seja homem, seja mulher, que consegue performar aquele boxe de “floretista”com a mesma segurança, com trocas de base continuas. É muito, mais muito difícil executar esse papel.

 

Golpes longos, melhor estratégia

 

Os golpes longos (jab e direto) atrapalham muito o jogo de um grappler, fundamentalmente por mantê-los na distância, o que facilita muito a antecipação e a defesa de quedas. Fica mais fácil de antever o ataque e de fazer o spraw. Isso frustrou demais Ladd, além de Norma jogar no contra golpe e ter mãos mais rápidas. Praticamente não teve o que fazer.

 

A norte-americana, por mais bronca que levasse de seu treinador, não foi dada-lhe no corner, uma opção estratégica para anular o jogo da brasileira. Ela teria de mudar taticamente, “matar” aquele jab no contra golpe ou, entrar no time dos jabs em queda. O que não é tão fácil assim. A atleta tem de estar com o tempo entradas afiado e com o boxe treinado para desempenhar aquele papel.

 

Pegando uma luta como aquela, em cima da hora, fica muito difícil de trabalhar certas especificidades estratégicas para a luta.

 

Disputa contra Amanda

 

Quanto a uma disputa de título. Melhor dar uma segurada. Norma está evoluindo absurdamente, mais muita coisa, de um camp para outro. Pegar Amanda agora, no meu modo de ver, seria cortar um caminho desnecessário. Enfrente a Holly Holm, faz uma revanche com a Megan Anderson, prove-se, evolua um pouco mais, para ai sim fazer um duelo com reais chances de fazer uma luta parelha contra a Amanda Nunes que, confesso, está cada dia mais difícil. Hoje, Amanda só perde para ela mesmo e para o fator, desmotivação.

 

 

 

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

News.
vip

Inscreva-se gratuitamente e receba conteúdo profissional e esclusivo por e-mail!