Casa do Apostador Carregando...
Referência no trade esportivo brasileiro, Fábio Nettuno anuncia aposentadoria
ter 11 jan/22

Referência no trade esportivo brasileiro, Fábio Nettuno anuncia aposentadoria


O cenário das apostas esportivas no Brasil recebeu com surpresa um anúncio inesperado de aposentadoria de Fábio Bampi, conhecido como “Nettuno”. Considerado uma das principais referências entre os apostadores brasileiros, Nettuno anunciou na última segunda-feira, 10 de janeiro, via Instagram, que 2022 será seu último ano como figura pública e produtor de conteúdo sobre apostas esportivas.

Dono de uma carreira ampla, Nettuno foi um dos precursores do mercado brasileiro de apostas. Quase sempre ligado ao ramo de trade esportivo, foi nas redes sociais e nos fóruns sobre apostas que Fábio Bampi tornou-se uma referência e alcançou números importantes. O seu canal no Youtube, por exemplo, tem cerca de 200 mil inscritos e mais de 80 mil pessoas o seguem no Instagram. O sucesso de Nettuno está muito ligado ao seu jeito didático de transmitir conhecimento e também ao carisma, marca registrada do “Magrão”, como alguns dos seus seguidores o chamam.

Confira, na íntegra, a carta de despedida de Fábio Nettuno:

O Último Baile

Começo hoje o início do meu fim como produtor de conteúdo sobre trade esportivo. É mais de uma década nesta estrada. Ainda estarei com vocês durante este ano de 2022. Vou seguir compartilhando aqui no Instagram vários conteúdos sobre trade e também algumas coisas pessoais, assim como no telegram e no YouTube. Serão conteúdos 100% dedicados ao trade esportivo. Mas, quando a Copa do Mundo acabar, no dia 18 de dezembro de 2022, irei me retirar da cena… 

Os motivos são vários… O principal deles é que a vida é feita de ciclos. A nossa vida não é uma linha reta. Você já percebeu quantas vidas você já viveu dentro de sua vida? Quantas versões de você, você já foi? Na minha concepção de vida e viver bem, é muito importante entender em qual momento de vida se está, para poder viver da melhor forma possível. É compreender e aceitar que estes momentos dentro da nossa vida tem fim e a cada fim um novo ciclo inicia…

 É muito ruim você ficar forçando a barra com a vida. Tentar ser hoje quem você foi no passado. Isto nos prende e nos impede de evoluir, de caminhar e de tocar a vida em frente. Sou extremamente grato. Só agradeço a tudo que o trade esportivo fez em minha vida e por ter conseguido passar o conhecimento que adquiri ao longo dos anos adiante com vocês. Porém, chega uma hora que tenho que olhar para dentro e admitir que este ciclo está perto do fim…

Além disso, eu me tornei o Bezos. Quando comecei essa caminhada, usei muito o fórum da academia de Portugal e lá tinha um usuário mais experiente chamado Bezos (não lembro exatamente como se escreve, deve ser Bezos, Besus ou algo parecido). E um certo dia mandei uma mensagem a ele. Isto foi há mais de 10 anos. Aquela mensagem nunca foi respondida. Eu sei, eu entendo que ele provavelmente não tinha tempo para responder as mensagens, mas isto é algo que me marcou tão profundamente que até hoje eu lembro.

 Há uma cruz interna que carregarei para sempre. Ter quebrado uma lógica de trade, rompido com aquilo que era feito por todos, onde o trade esportivo se resumia a trabalhar sobre o mercado, com suas oscilações, time bombs, resistências e odds de referência. Ter mostrado que sim, existe um tipo de trade que pode ser feito usando a leitura de jogo, padrão de marcação, saída de bola, pressão… Quem está aqui a mais tempo vai lembrar “dos laterais que não passavam do meio campo”.

 Esta parte foi mais dolorida do que a anterior onde lutei contra os picaretas que não faziam trade, pois quando passei a falar sobre leitura de jogo e a mostrar outro tipo de trade esportivo, passei a ser atacado pelos meus pares, de uma forma que me atingiu com muito mais força. Eram as pessoas com quem eu convivia que agora queriam que eu sumisse, pois não conseguiam entender aquilo como sendo algo válido. Existia uma “crença” de que o mercado era o mais importante e ponto final. O jogo em campo era apenas algo que corria em paralelo sem ter muita importância. Mostrar que existe uma outra forma de trade onde o jogo se sobrepõe ao mercado foi extremamente complexo e difícil.

 Provavelmente esta foi a fase mais triste que passei como produtor de conteúdo. Hoje a leitura de jogo é uma forma de trade extremamente difundida. Até quem é punter, estatístico, usa bots e etc, fala de leitura de jogo. E esse capitulo me cravou algo, onde eu sei que eu estou errado neste meu entendimento, mas é como se internamente eu me sentisse responsável por todos que de alguma forma usam a leitura de jogo.

Mesmo que o método, a forma de ler o jogo, a concepção do trade sejam diferentes da minha, quando vejo um green sabendo que ele foi construído a partir da leitura de jogo, fico feliz… Mas quando vejo um red, fico triste e me sinto responsável por ele. Eu sei que eu não deveria me sentir responsável, pois não sou, mas é assim que me sinto. É o meu emocional. E além disso tem outra coisa, a tristeza do red é sempre maior que a alegria do green.

 A cobrança pessoal sobre mim mesmo, o conteúdo que faço muitas vezes não tem meio termo, é green ou red. Sempre explico ao máximo estas questões de risco, probabilidades e etc… E nunca me senti cobrado por acertos ou erros pela comunidade, mas me sinto cobrado por mim mesmo e isto ao longo de muitos anos começou a pesar sobre meus ombros.

 E eu que um dia “me ressentia” com o tal do Bezos, hoje faço o mesmo que ele.

Só aqui no Instagram recebo mais de 200 mensagens privadas por dia, sem contar as mensagens no Telegram, emails, etc… É humanamente impossível responder a todos. E quando faço sou eu mesmo, não tenho equipe para fazer isto, sou apenas eu. Pois se alguém mandou uma mensagem para mim, quem tem que responder sou eu e não outra pessoa.

 E este fato de não conseguir dar atenção às vezes simplesmente para ajudar alguém respondendo uma dúvida é algo que me incomoda significativamente. Hoje a produção de conteúdo ocupa um tempo pequeno em minha vida, quem acompanha os vídeos vê que eles são crus, sem edição e nada mais, pois eles são assim justamente para não ocuparem um tempo maior do dia. Mas, por menor que seja este tempo, ele começa a fazer falta. O nosso tempo é limitado. Eu sempre achei isto uma grande bobagem até o dia em que o tempo começou a me faltar.

 Olhando em volta, a cena do trade esportivo vai ficar bem representada. Hoje existem vários produtores de conteúdo bons, honestos e que fazem um trabalho de extrema qualidade. Sim, eu sei que infelizmente também existem aos montes os desonestos e que só sujam o nosso meio. Mas, sei que o espaço que deixarei será ocupado pelo primeiro grupo. Isto de uma certa forma é um alento, pois seria terrível ver este espaço ser ocupado por picaretas como foi no passado.

 Quem é novo nesta área não viveu a época onde raríssimos eram os lugares onde existia algum conteúdo de valor (fórum da academia e a comunidade do orkut do Lokobets). Fora dali praticamente 100% do conteúdo feito sobre trade era produzido por pessoas que nem trade faziam, onde o único objetivo era aplicar golpes usando o trade esportivo como pano de fundo.

 Tenho que admitir que não foi uma tarefa simples lutar contra aquela turma de picaretas, mas de uma forma ou de outra fui em frente e acabamos tomando o espaço deles. E hoje vejo muita gente nova e boa produzindo conteúdo, nas mais diversas plataformas, mostrando os seus erros e acertos, os greens e os reds, suas dores e suas conquistas. Quem tem que falar sobre trade somos nós, as pessoas que realmente fazem trade.

 Durante este ano de 2022, vou fazer o melhor de mim para entregar a vocês o melhor conteúdo possível. Seja aqui no Instagram,Telegram, Youtube ou quem fizer meu treinamento. Estaremos juntos durante muitas partidas, muitos greens e reds. Afinal, assim como a vida, o trade tem seus ciclos…

Lamento e compreendo

Como alguém que está inserido dos pés a cabeça no mundo das apostas esportivas, lamento profundamente que esse seja o último ano de Fábio Nettuno como produtor de conteúdo sobre apostas esportivas. Vivi alguns “ciclos” durante a minha formação como apostador e, em todos eles, Nettuno esteve presente, seja como professor ou exemplo.

Apesar de nunca ter realmente investido no trade esportivo, o papel que Nettuno teve na minha formação como apostador está nos conceitos por trás de tudo. A atividade de apostar, seja como punter ou trader, tem conceitos e bases fundamentais muito semelhantes. Punters tem muito para aprender com traders e o inverso também é uma realidade.

Dito isso, compreendo a decisão de Fábio Nettuno em se retirar da cena. Penso que ele cumpriu a sua função dentro do meio. Apesar da “aposentadoria”, tudo que Nettuno produziu deve seguir vivo dentro da internet, onde praticamente nada se perde. Quem virá na sequência ainda pode ter muito conhecimento e experiência adquirida durante a carreira de um dos maiores traders do Brasil para absorver.

O Brasil vive um momento de mudança. As apostas esportivas e o trade estão próximos de se tornarem algo regulamentado. Uma figura do Nettuno fará falta nos próximos anos, mas precisamos apoiar a decisão dele. Só o próprio Fábio sabe o que se passa e apenas ele pode dizer qual é o seu próprio limite.

Por fim, desejo muito sucesso ao Nettuno em sua vida e nos seus próximos projetos. A “aposentadoria” do “Magrão” é sobre produzir conteúdo, não sobre fazer trade. Do mesmo jeito que ele percebeu ser essa uma hora de parar, quem sabe no futuro também possa entender que seja a hora de voltar. Tudo pode acontecer. Parafraseando um trader de sucesso, a vida é feita de ciclos…

Sérgio Ricardo Jr

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

News.
vip

Inscreva-se gratuitamente e receba conteúdo profissional e esclusivo por e-mail!