Casa do Apostador Carregando...
Heat Culture: O que é a tão famosa “Heat Culture” e como ela pode influenciar as apostas na NBA?
sáb 12 fev/22

Heat Culture: O que é a tão famosa “Heat Culture” e como ela pode influenciar as apostas na NBA?


O Miami Heat é uma das franquias mais populares e icônicas da história da NBA, e muito do seu sucesso se deve a uma expressão e tradição que ficou conhecida como Heat Culture (Cultura Heat), que foi um modelo de gestão e desenvolvimento de jogadores criado pela franquia para a obtenção de sucesso na Liga. 

Origem

Não existe uma data ou uma temporada exata para se cravar como o início da Heat Culture, mas muito do surgimento da cultura se dá pelo ex-jogador e técnico da NBA, Pat Riley, que hoje é o presidente da franquia de Miami. Pat Riley sempre foi obcecado pela vitória, e é sem dúvidas uma das pessoas que mais entende de vencer a NBA. Riley foi campeão da Liga como jogador na década de 70 atuando pelo Los Angeles Lakers. Em 1981 Pat assumiu o time dos Lakers como técnico, onde conseguiu 4 títulos treinando um dos melhores times da história da NBA. Em 2006, Riley conquistou seu último título como treinador justamente pelo Miami Heat. Em 2008 Riley deixou de ser técnico do time para assumir a presidência da franquia. Na presidência, Riley montou um big-3 que fez história na liga, juntando LeBron James, Chris Bosh e Dwyane Wade. O Trio chegou a quatro finais de NBA seguidas, vencendo duas delas, em 2012 e 2013. 

Com essa história magnífica na liga, Pat Riley tinha praticamente todos os conhecimentos necessários para criar novos vencedores e formar grandes equipes, e foi exatamente isso que ele fez com a franquia de Miami, aplicando o que ficou conhecido como a Heat Culture. 

A cultura Heat

Com Pat Riley na presidência, a estratégia que muitas equipes da NBA utilizam que é conhecida como “Tanking” foi estritamente proibida (tática utilizada por franquias que consiste em perder jogos para conseguir melhores escolhas no Draft). O Miami Heat sempre busca a vitória, independente do elenco que esteja em quadra e independente do adversário que está enfrentando. Basicamente, a cultura consiste em vencer independente das circunstâncias. Dessa forma, a equipe dificilmente tinha boas escolhas no Draft, o que tornava bastante complicada a missão de Reconstruir uma equipe depois de perder seus astros, assim como ocorreu em 2014 com a saída de Lebron James e os problemas de saúde de Bosh. Com esse problema evidenciado, surge uma das principais características da Heat Culture.

Desenvolvimento de Jogadores e Scouting

A solução para essa situação e um dos pilares da Heat Culture foi o desenvolvimento dos jogadores que estão a disposição e um trabalho muito bem feito de scouting nas ligas de desenvolvimento. Os principais exemplos que podemos trazer à tona são Duncan Robinson e Kendrick Nunn, que atuavam nas ligas de desenvolvimento e nunca foram draftados. Ambos pensaram seriamente em desistir do basquete, até que os olhos clínicos dos olheiros do Miami Heat os encontraram. Duncan Robinson saiu de jogador não draftado para o melhor arremessador de Três pontos dos Playoffs de 2020, e um jogador importantíssimo na rotação do elenco. Kendrick Nunn acabou se tornando um dos armadores mais empolgantes da liga na temporada 2020. 

No período entre 2014 e 2019, o Heat falhou em atingir os Playoffs em duas oportunidades, o que gerou para a equipe algumas escolhas de Draft de primeira rodada, que foram extremamente bem utilizadas. Em 2017, o Heat tinha apenas a última escolha da primeira rodada (14° colocação), o que foi suficiente para draftar um Futuro All-Star no Pivô Bam Adebayo. Em 2019, o Heat tinha a 13° posição e escolheu Tyler Herro, um excelente pontuador. Para se ter uma noção do feito do Heat nesses Drafts, caso as escolhas fossem todas refeitas, Adebayo e Herro provavelmente estariam entre os três primeiros a serem escolhidos. 

Outros exemplos de jogadores que foram absurdamente melhorados pela Heat Culture foram Caleb Martin, Yurtseven e Max Strus, que se tornaram jogadores de rotação muito úteis para o Miami Heat e que eram considerados apenas como atletas de composição de elenco. A evolução desses jogadores é realizada através de treinos muito pesados e métodos de fortalecimento e treinamento muito intensos, o que nos leva até mais uma características da Heat Culture.

Treinamentos e preparo Físico

Apenas uma franquia dentre todas as 30 da NBA tem um programa de treinamentos durante a pré-temporada e com rígidos critérios a serem seguidos na reapresentação dos atletas, ou seja, os jogadores precisam se manter regrados mesmo durante as férias e caso se reapresentem em más condições físicas, tem grandes chances de serem colocados no mercado. 

Além disso, durante a temporada, as sessões de treinamento do Heat são as mais intensas e muitos jogadores da franquia dizem que os treinos são mais desgastantes do que uma partida oficial. Alguns dos atletas do elenco iniciam os seus planos de treinamento às 03:30 da manhã e seguem durante todo o dia trabalhando no seu desenvolvimento. Para que esse tipo de treinamento funcione, entramos em outro grande fator da Heat Culture.

Disciplina

Para ser um jogador do Miami Heat, não é necessário apenas habilidade, mas sim diversos fatores, sendo um dos principais deles a Disciplina. Para aguentar a rotina de treinos e a maratona de jogos, os jogadores do Heat precisam ter a cabeça no lugar e estar 100% focados na equipe e nos treinos. Caso isso não aconteça, muito provavelmente o jogador será disponibilizado rapidamente no mercado e os Diretores não pensarão duas vezes antes de aceitar uma troca. Além da Disciplina, os jogadores precisam ter o último fator que caracteriza a Heat Culture. 

Mentalidade

O melhor exemplo para explicar a Mentalidade da Heat Culture é a estrela da equipe Jimmy Butler. Butler sempre foi considerado uma das grandes promessas da NBA e era notável que ele era muito diferenciado, mas tinha fama de encrenqueiro e era conhecido por dividir o vestiário das equipes. em um episódio quando ainda atuava no Minnesota Timberwolves, Butler jogou com o terceiro time, cercado de jovens inexperientes, contra o time titular. Butler e os garotos venceram o jogo e Jimmy foi a loucura dizendo que seus companheiros eram moles e fracos, e que não estavam entregando seu potencial máximo para a franquia. Com fama de Laranja Podre, Butler foi trocado duas vezes por valores que não condiziam com a sua habilidade, e para o Miami Heat não foi diferente. O Heat teve que abrir mão de poucos ativos para contar com o talentoso jogador em seu elenco, e quando Butler chegou ao Miami Heat, se tornou outra pessoa. Butler se identificou desde o primeiro dia com a cultura da franquia e rapidamente entendeu que ali era seu lugar. De má influência e jogador problemático, Butler se tornou um grande líder e é responsável até hoje pelo desenvolvimentos dos jovens que passam pela franquia, como Tyler Herro. Butler na verdade não tinha problemas de mentalidade, ele só precisava de uma franquia que concordasse com a sua característica de obsessão pela vitória. 

Heat Culture e as Apostas na NBA

A Heat Culture faz do Miami Heat um dos times mais empolgantes e legais de se acompanhar da liga, mas qual é o efeito da Heat Culture nas apostas esportivas? 

É claro que não existe receita de bolo nas apostas esportivas e nem estou aqui para te passar a fórmula mágica de sempre acertar suas apostas no Miami Heat, mas existe uma característica da franquia que pode ser levada em consideração em algumas análises: a vontade de vencer. É muito comum na NBA que existam jogos em que uma equipe vai totalmente desfalcada para uma partida, ainda mais em tempos de Covid. O Miami Heat foi uma das equipes que foi afetada fortemente pelos casos da doença, mas foi um dos que melhor se virou durante esse período, com os jovens jogadores representando muito bem a franquia. Nessas partidas em que uma equipe vai totalmente reserva, as linhas que as casas de aposta oferecem muitas vezes são bastante equivocadas, pois com muitos desfalques, é esperado que a equipe não consiga desempenhar. O Miami Heat foi uma das equipes que mais venceu jogos na liga quando não era favorito, ou pelo menos cumpriu o Handicap asiático oferecido. Como está instaurado nos jogadores que eles precisam e devem buscar a vitória, não importa quem está jogando de titular ou quem está fora, eles vão jogar para vencer. Isso faz com que muitos jogos em que o Heat não é favorito, principalmente por desfalques, a equipe de Miami surpreende. Os reservas do Heat venceram o time titular do atual campeão Milwaukee Bucks e o Utah Jazz, por exemplo. Outra situação bastante observável é o poder de reação do Miami. É bastante comum que a equipe consiga reagir mesmo quando está muito atrás do placar em algum momento do jogo, e isso pode criar diversas oportunidades de aposta. 

É claro que o Miami não vai vencer todas as partidas somente por ter vontade de vencer, mas esse é um fator que pode te ajudar em algumas análises e recomendo fortemente que leve em consideração. 

Inscreva-se na minha lista VIP para receber conteúdos de apostas profissionais exclusivos. 

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

News.
vip

Inscreva-se gratuitamente e receba conteúdo profissional e esclusivo por e-mail!